O site da Cabral Moncada Leilões utiliza Cookies para proporcionar aos seus utilizadores uma maior rapidez e a personalização do serviço prestado. Ao navegar no site estará a consentir a utilização dos Cookies.Saiba mais sobre o uso de cookies

Sessão única | November 16, 2020  | 283 Lotes

1/2

euro_symbol€ 10,000 - 15,000 Base - Estimativa

remove_shopping_cart€ 0Retirado - Disponível para compra

chevron_leftLote anterior 87 chevron_rightLote seguinte

ANTÓNIO CHARRUA - 1925-2008 Vermelho e verde óleo sobre tela assinado e datado de 1973 Dim. - 130 x 97 cm Notas: obra reproduzida em "Charrua". S.l.: edição do Autor, 1990, s/p; integrou a exposição "X de Charrua", realizada no Centro de Arte Moderna Gulbenkian, 19 de Junho de 2015 a 25 de Outubro de 2015, encontrando-se reproduzida no respectivo catálogo, p. 228, nº 296. "(...) Nos anos setenta, as barras pintadas por Charrua em inúmeras telas (rectangulares e redondas) são «demonstrações» da euforia enunciativa da pintura - das suas paletas, das vizinhanças e valores cromáticos, da sua autonomia. Vêm provavelmente da pintura americana que algumas revistas lhe davam a ver, como deram a Lapa ou a Palolo: Barnett Newman, Elsworth Kelly, Jasper Johns, Kenneth Noland, Robert Mangold, Morris Louis... «Da arte americana, tem razão. Há uma influência. Aquela "brutalidade" influenciou-nos a todos». E ainda: « O encontro com a pintura americana (...) constitui para mim uma verdadeira revelação». (...). Há opções estruturais nas pinturas de Charrua (e há encontros cromáticos que são estruturais) que são porventura subliminares no trabalho de Lapa. "A pintura Nausicaa (Lapa, 1976) não pode deixar de nos fazer pensar em Vermelho e Verde de Charrua (1973) - o mesmo contraste, a mesma emergência de uma «presença» quase figurativa mais ou menos vaga, o mesmo tipo de «cicatriz» a dividir as duas metades.(...)". NAZARÉ, Leonor - "Charrua em contexto - As formas principais", in "X de Charrua". Lisboa: Centro de Arte Moderna Gulbenkian,2015, pp. 29-48.

Mensagem